Arquivo para categoria mobile marketing

Quanto vale a internet no Brasil?

A Época Negócios que está nas bancas traz uma ótima reportagem de Guilherme Felitti sob o título “A Década Digital Brasileira”. O Texto aborda o crescente interesse de empresas internacionais em operar localmente, pegando principalmente a “rixa”entre Google e Facebook.

Acompanhando a reportagem, o site da revista publicou um ótimo vídeo com dados globais sobre a internet em nosso país nunca antes compilados juntos. Vale conferir!

Anúncios

, ,

1 comentário

Mensagens que andam: particularidades do mobile marketing

Recentemente dei uma entrevista para a newsletter da Virid, especializada em soluções de relacionamento digital via email marketing. O tema foi mobile marketing e, salvo engano meu,  foi a primeira entrevista que dei apenas sobre o tema. Confira abaixo:

1. Nos EUA, o mercado de dados para aplicativos móveis cresceu 23% em 2010 e atingiu a marca de US$ 1,49 bilhão. Diante dessa expansão, como você avalia o atual cenário do mercado global, e onde acredita que estejam as melhores oportunidades?

O celular, sem dúvida, é o único equipamento que está com você o tempo todo, e os smartphones hoje permitem uma série de atividades que antes era possível fazer apenas com outros equipamentos. Assim, há diversas oportunidades no horizonte, como a geolocalização e códigos 2D – que podem ser muito eficientes na realização de promoções – e a busca, que apoia com conveniência o ecommerce, por exemplo.

2. E no Brasil, estamos em dia com as tendências internacionais? A exclusão digital representa um entrave muito grande ao desenvolvimento de novas ações?

Acredito que o celular será responsável pela inclusão digital de boa parte da população, que nem passará pelo computador. Com a criação de planos mais populares, o acesso tende a aumentar. Em termos de negócios, aqui, como em todos os lugares, o mobile marketing ainda carece de uma padronização de formatos e métricas, assim como aconteceu nos primeiros anos da internet.

3. Voltando aos EUA, em 2010, pela primeira vez, as vendas do segmento de smartphones superaram as vendas do segmento de computação. No campo do mobile marketing, são os smartphones também as plataformas mais atrativas para o consumidor? Por quê?

Sem dúvida. Como eu disse anteriormente, o celular está sempre ao seu lado e graças a ele você consegue realizar uma série de atividades antes realizadas apenas via computador. Agora, com os novos tablets incorporando funções de telefone, o desafio segue cada vez maior para profissionais de comunicação e marketing… É um mercado em ebulição, e a cada dia vemos novas opções e plataformas. Isso às vezes dificulta o trabalho de comunicação, mas abre uma miríade de oportunidades!

4. E os tablets e e-readers, têm potencial para ameaçar os celulares inteligentes?

Ambos são muito recentes e ainda em evolução, mas seu impacto já foi sentido pela indústria de computadores, haja visto a enorme queda das vendas de netbooks e o crescimento dos tablets. Imagine que 70% das pessoas que compraram o iPad 2 na semana de seu lançamento não possuíam a versão anterior, e isso mostra o aumento do interesse pelo equipamento. Se você considerar que em 2010, pela primeira vez nos EUA, acessou-se mais notícias via online do que no papel, você tem aí o impacto que esses equipamentos terão na vida das pessoas.

Continue lendo a entrevista no site da Virid.

, ,

2 Comentários

>Multihomem

>Domingo foi noite de Oscar. Mas também foi noite de Miami Heat versus New York Knicks, pela NBA.

Na mesma noite Eric Schmidt, ainda CEO do Google, fez a palestra de abertura no evento  IAB Annual Leadership Meeting, na Califórnia. Além de defender o rápido crescimento das oportunidades via dispositivos móveis, ele declarou que “os jovens de hoje tem apenas dois momentos: ou estão dormindo ou estão online”.

Esta frase me marcou muito, pois sintetiza bem a realidade: ainda nesta mesma noite, me peguei no sofá com a televisão ligada no Oscar, o iPad no Twitter, o celular no Facebook e o notebook na NBA. Ufa!

Se eu, aos 44 anos, estou assim, imagine a molecada. Eric Schmidt está pra lá de certo!

Deixe um comentário

Adnetworks dominam a publicidade mobile nos EUA

Vai parecer que estou puxando sardinha para minha brasa, mas uma matéria sobre os planos comerciais da Apple para sua plataforma de publicidade mobile – iAd – mostra o domínio das Redes de Publicidade no ainda nascente mundo da publicidade em equipamentos móveis.

São previstos 400 milhões de dólares de anúncios vendidos via adnetworks para 2010, o dobro do ano passado. É a maior fonte de receita. Muito maior que Busca, SMS e vendas diretas.

Veja abaixo o gráfico da consultoria Thomas WieseL Partners.

Enquanto isso, por aqui ainda tem gente achando que as Redes vão desaparecer. Eu pessoalmente acredito numa consolidação no mercado local, já que não há espaço (=$$) para tantas empresas neste segmento como existem hoje.

(a dica da matéria foi de @rgrosman)

Deixe um comentário

Minha sugestão ao "mobile marketeiros"

Recentemente a revista Dinheiro publicou um ranking sobre venda de aparelhos celulares.

O iPhone segue firme na última colocação. Some-se a isso a esmagadora maioria de aparelhos pré-pagos que dominam nosso mercado e você terá o motivo porque sou cético em relação aos “cases” de mobile marketing que vejo por aí.

Minha modesta opinião: a publicidade online sofreu muito no início da década por falta de padrões, regras claras e, sim, cases de sucesso.

O pessoal de mobile deveria aproveitar esse exemplo e investir fortemente na criação de padrões de anúncio, métricas confiáveis e políticas comerciais claras e transparentes. Isso é muito mais importante que os cases, já que fica difícil comparar laranjas com maçãs, que é o que fazem hoje em dia.

Entendo que para as operadoras o negócio é uma gota no oceano, o que dificulta muito um trabalho organizado, mas é algo que precisa ser feito.

Aproveitem que a base ainda é pequena e invistam tempo nisso.

1 comentário

Menos, não?!

Estou impressionado com o número de eventos, artigos, posts e, principalmente, experts em Social Media e Mobile Marketing.

Imagine então o dia em que realmente alguém estiver ganhando dinheiro com isso no Brasil…

Se a publicidade online é menos de 4% do bolo, quanto movimentam essas áreas hoje?

Deixe um comentário

Decepção com o anúncio da Citroen com QR Code

Em um mundo com bilhões de celulares o QR Code é uma das formas mais modernas de atrair consumidores para conhecer mais sobre um produto ou serviço.

O QR Code é um código de barras que após a instalação de um aplicativo pode ser lido pelo celular.

A primeira pessoa que vi falar sobre o assunto como ferramenta de comunicação foi o Ricardo Cavalini em seu livro O Marketing Depois de Amanhã (leitura obrigatória!)

Bom, Citroen publicou na Veja esta semana um anúncio com QR Code promovendo o lançamento do novo C4 Picasso. Para facilitar, se você não tem o leitor em seu telefone o anúncio também oferece uma forma para adquirir o seu gratuitamente.

Lá fui eu testar…

Instalado o aplicativo, mirei no QR Code e bum…direto para o site!

Legal, mas decepção total: apenas um vídeo (bonitinho é verdade) do novo carro!

Se é pra fazer, faz bem feito: onde ficam as concessionárias perto de mim? Qual as características do novo modelo? Como posso agendar um test drive? Como posso entrar em contato – um 0800 ou por SMS por exemplo, já que estou no celular?

Se eu quisesse apenas ver um vídeo bastava ir ao Youtube ou, em caso extremo, ligar a televisão, certo?
🙂

6 Comentários

%d blogueiros gostam disto: