Acabei de ler um ótimo texto da Bia Granja sobre a capa da Vejinha desta semana.

O ponto de vista dela faz você parar e pensar: o Twitter repete claramente o modelo de broadcast, consagrado na TV e rádio de um falando pra muitos. Isso é bastante claro também no Youtube.

A diferença é que, em ambos o broadcaster pode ser um “não-famoso”, assim como em um blog.

Acho óbvio que Globais e povo de Caras tenham milhares de seguidores, mas isso não quer dizer que eles sejam influentes ou influenciadores, como bem ressalta a Bia. Afinal, “Cala-boca Galvão”, que nasceu e cresceu graças a anônimos como eu e você, está aí pra provar isso.

Por outro lado, bastou a Claudia Raia anunciar sua separação do Celulari para ela ir parar no topo dos Trend Topics Brasil e, acredite se quiser, mundial (!!)