Arquivo de julho \30\UTC 2010

Sobre o Searchlabs

Infelizmente não tive como ficar os dois dias no Searchlabs. Mas o pouco que vi me agradou, especialmente para um primeiro evento, de organizadores jovens e muito comprometidos.

O evento contou com 3 salas simultâneas, o que pode ser questionado: o auditório principal, onde estava os convidados internacionais, com certeza ficou lotado o tempo todo.

As outras duas salas alternavam entre cheias e vazias – no meu caso, ela estava cheia quando falei.
🙂

Sala vazia desanima qualquer palestrante, por melhor que seja o material que ele tem a apresentar.

Espero que o evento se repita ano que vem e possa contar com maior apoio dos grandes veículos do mercado, pois potencial ele tem. Há detalhes mínimos na organização que podem e precisam ser aprimorados, caso o evento ganhe mais corpo.

Parabéns a todos os envolvidos!

2 Comentários

Os famosos e o Twitter

Acabei de ler um ótimo texto da Bia Granja sobre a capa da Vejinha desta semana.

O ponto de vista dela faz você parar e pensar: o Twitter repete claramente o modelo de broadcast, consagrado na TV e rádio de um falando pra muitos. Isso é bastante claro também no Youtube.

A diferença é que, em ambos o broadcaster pode ser um “não-famoso”, assim como em um blog.

Acho óbvio que Globais e povo de Caras tenham milhares de seguidores, mas isso não quer dizer que eles sejam influentes ou influenciadores, como bem ressalta a Bia. Afinal, “Cala-boca Galvão”, que nasceu e cresceu graças a anônimos como eu e você, está aí pra provar isso.

Por outro lado, bastou a Claudia Raia anunciar sua separação do Celulari para ela ir parar no topo dos Trend Topics Brasil e, acredite se quiser, mundial (!!)

Deixe um comentário

Lenda urbana: o tal CTR médio de mercado

Vamos de uma vez por todas acabar com essa história: alguém algum dia em algum lugar em um passado remoto soltou a afirmação que a taxa de clique médio (também chamado de CTR ou click-through rate) do mercado brasileiro é 0,12%. Ou qualquer coisa em torno disso. E hoje boa parte do mercado repete isso como verdade absoluta.

Pois bem: alguém pode me mostrar este estudo ou pesquisa?

Não, porque não existe e é uma grande bobagem este tal de CTR médio.

Didaticamente explico:

1. CTR de super banner é igual de full banner? Ou de Sky?

2. CTR de uma peça posicionada no alto da página é igual a de uma no meio do conteúdo ou no rodapé?

3. CTR de uma campanha de varejo, com forte “call to action”, é igual de uma de produto de consumo, voltada a branding?

4. CTR de uma campanha num site vertical é igual a de um portal horizontal?

5. CTR de peça em flash é igual a de gif ou com vídeo?

6. E se a pessoa não clica na peça, a campanha foi um fracasso?

A resposta é NÃO para todas as perguntas.

Some a isso o fato de que a frequência de exibição da peça também tem influência direta no CTR, assim como o o conteúdo da página em que ela está inserida.

E por último, de que adianta um CTR alto se você não mede o que aconteceu depois do clique, quando o consumidor chega a seu site? Já vi campanhas com CTR alto e zero de conversão. De que adianta?

Então, ou cria-se um estudo sério pra medir o tal CTR médio por formato ou acabamos com esta besteira de “CTR médio de mercado”.

11 Comentários

Deixe um comentário

ABERCROMBIE & FITCH

Segundo a Wikipedia, a ABERCROMBIE & FITCH começou como uma pequena loja e fábrica no dia 4 de junho de 1892 na baixa Manhattan, fundada por David Abercrombie. Sua paixão por esportes ao ar livre inspirou o surgimento da marca. Sua clientela inicial era composta por caçadores e exploradores. Em 1900, Erza Fitch, um de seus principais clientes, entrou na sociedade e a empresa passou a se chamar ABERCROMBIE & FITCH no ano de 1904. O famoso catálogo da marca surgiu em 1909, quando 50 mil cópias com 456 páginas, incluindo roupas, acessórios para camping, entre outros, foi impresso e distribuído, quase levando a empresa a falência. Mas provou ser um grande instrumento de marketing nos anos seguintes. Durante o começo do século 20 a rede de lojas se tornou extremamente popular vendendo produtos esportivos para a elite americana. Entre os fãs da marca estavam os presidentes Theodore Roosevelt e Gerald Ford, além de Charles Lindbergh, Amelia Earhart, Greta Garbo, Katharine Hepburn, Clark Gable, John Steinbeck e o escritor Ernest Hemingway.

Deixe um comentário

Especial de Internet do M&M aborda Adnetworks

O Meio&Mensagem trouxe esta semana um caderno especial sobre Internet.

Os temas são bastante abragentes e ao abordar as oportunidades em portais regionais, a edição abriu espaço para tratar de adnetworks.

Como não poderia deixar de ser a Realmedia aparece em destaque, conforme vocês podem conferir abaixo.

Deixe um comentário

Rá! Pegadinha do malandro!

30 de outubro de 1938. O mundo foi invadido por marcianos, após a notícia de que uma nave não identificada e em chamas caiu em uma fazenda em New Jersey, nos Estados Unidos. Pelo menos isso era o que dizia o rádio, em uma série de boletins sucessivos, incluindo entrevistas com testemunhas e autoridades policiais.

Junho de 2010. Uma campanha de proteção ambiental toma de sopetão a internet. Ou seria o novo single de Lady Gaga? “CalabocaGalvão” chega ao topo dos Trends Topics ( assuntos mais populares) do Twitter e durante uma semana foi o tema do dia – pelo menos na internet – no Brasil e exterior.

72 anos separam duas das maiores pegadinhas que o mundo já viu. Ou, se preferir, dois dos maiores cases de marketing viral.

Leia o artigo completo no Websinsider.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: