Política e as redes sociais: um caso verídico que aconteceu comigo

Depois de tentar me adicionar sem sucesso no Facebook, o Deputado Roberto Freire foi publicamente me dar bronca no Twitter.

Na verdade, creio eu, por causa de um comentário que fiz no mural de José Carlos Veronezzi, profissional bastante conhecido e competente do mercado publicitário – e a quem sempre respeitei, mas que ataca com unhas e dentes quem ousa contrariar sua opinião no Facebook.

Veronezzi estava fazendo apologia ao candidato e eu, dentro do espírito democrático da internet e do FB, comentei que se o candidato, mesmo após minhas recusas, seguisse tentando me adicionar seria bloqueado e denunciado como spammer.

Veronezzi respondeu com pedras nas mãos, acusando a mim e a um amigo que concordou com meu comentário, de votar em fulano ou beltrano e de sermos apoiadores de corruptos, já que ousáramos reclamar do seu candidato.

Aparentemente isso desagradou a ambos.

Segue a tuitada do deputado:
@msant_iago Não pretendo ser seu amigo, nem pessoalmente nem no facebook. Não aprecio quem se vangloria de sofrer assêdio.Isto não pega bem.

Enfim, isso mostra como as rede sociais vão ter papel preponderante nas eleições deste ano.

(fica uma dúvida: será que o Veronezzi vai sair candidato?)

  1. #1 por Edgar em 15/06/2010 - 12:58

    Completamente ridículo…aliás, minha opinião particular é de que marketing político é mais invasivo do que telemarketing domingo de manhã. Ah e outra…esses dois realmente já perderam a moral que já não tinham comigo.

  2. #2 por Veronezzi em 10/07/2010 - 04:56

    Marcelo: sim, sou candidato a dep. estadual pelo PPS.Só agora me manifesto porque agora já posso, pois diferentemente de Lula/Dilma, nós respeitamos a lei.E esclareço: o Roberto Freire tentou te adicionar no FB porque eu fiz a sugestão a ele.O FB é a melhor rede social (nos EUA passou o Google em acessos), mas ainda tem seus "bugs", p. ex.: você sugere a 50 amigos (máximo por vez) p/ adicionarem uma pessoa (no meu caso, o Roberto), e ao repetir a ação, entre os que não adicionaram a pessoa, você fica sem saber se foi por recusa, ou porque não acessaram o FB.Se o FB mostrasse os que recusaram, evitaria da pessoa (no caso, eu) mandar a sugestão de novo.Isso não é spam, é um "bug" do FB.Mas a resposta (pública) de vocês, além de não levar isso em conta, ainda foi típica de petistas radicais (se o "spam/bug" incomodou, bastavam me excluir, mas ao responderem que minhas sugestões p/ adicionar o R. Freire eram spam de quem estava fazendo apologia dele, isso mostrou intolerância política).Daí, minha típica resposta também (e não "pedras nas mãos") aos que parecem ser "petista radicais", e a bronca do Roberto.Mas elogio sua atitude de colocar tudo no blog, tal como foi.Edgar, se você acha invasivo estar nas redes, antes de aceitar alguém leia o perfil. O meu é totalmente público.E ao dizer que o R. Freire e eu não tínhamos moral com você, é sua opinião. Eu respeito.Já os historiadores da política brasileira, e o mercado publicitário, tem opiniões bem diferentes do R. Freire, e de mim, respectivamente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: