Depois de tentar me adicionar sem sucesso no Facebook, o Deputado Roberto Freire foi publicamente me dar bronca no Twitter.

Na verdade, creio eu, por causa de um comentário que fiz no mural de José Carlos Veronezzi, profissional bastante conhecido e competente do mercado publicitário – e a quem sempre respeitei, mas que ataca com unhas e dentes quem ousa contrariar sua opinião no Facebook.

Veronezzi estava fazendo apologia ao candidato e eu, dentro do espírito democrático da internet e do FB, comentei que se o candidato, mesmo após minhas recusas, seguisse tentando me adicionar seria bloqueado e denunciado como spammer.

Veronezzi respondeu com pedras nas mãos, acusando a mim e a um amigo que concordou com meu comentário, de votar em fulano ou beltrano e de sermos apoiadores de corruptos, já que ousáramos reclamar do seu candidato.

Aparentemente isso desagradou a ambos.

Segue a tuitada do deputado:
@msant_iago Não pretendo ser seu amigo, nem pessoalmente nem no facebook. Não aprecio quem se vangloria de sofrer assêdio.Isto não pega bem.

Enfim, isso mostra como as rede sociais vão ter papel preponderante nas eleições deste ano.

(fica uma dúvida: será que o Veronezzi vai sair candidato?)