Recentemente a revista Dinheiro publicou um ranking sobre venda de aparelhos celulares.

O iPhone segue firme na última colocação. Some-se a isso a esmagadora maioria de aparelhos pré-pagos que dominam nosso mercado e você terá o motivo porque sou cético em relação aos “cases” de mobile marketing que vejo por aí.

Minha modesta opinião: a publicidade online sofreu muito no início da década por falta de padrões, regras claras e, sim, cases de sucesso.

O pessoal de mobile deveria aproveitar esse exemplo e investir fortemente na criação de padrões de anúncio, métricas confiáveis e políticas comerciais claras e transparentes. Isso é muito mais importante que os cases, já que fica difícil comparar laranjas com maçãs, que é o que fazem hoje em dia.

Entendo que para as operadoras o negócio é uma gota no oceano, o que dificulta muito um trabalho organizado, mas é algo que precisa ser feito.

Aproveitem que a base ainda é pequena e invistam tempo nisso.