O YouTube é um dos sites mais populares do Brasil, a ponto de sermos um dos poucos países do mundo a ter uma versão local.

Muito se fala do poder dos vídeos online e aparentemente por aqui ainda não se descobriu uso melhor do YouTube do que disponibilizar vídeos pessoais, curtas (um vídeo brasileiro foi vencedor de um concurso mundial promovido pelo site) e algumas ações publicitárias.

Lá fora não: esta semana foi inaugurado o canal oficial da monarquia britânica, que inclui até mesmo um vídeo de 1917 mostrando um passeio da então esposa do rei Eduardo VII e o primeiro vídeo da atual rainha transmitindo sua mensagem de Natal, em 1957.

Enquanto isso, nos EUA, há um canal específico sobre as eleições presidenciais que acontecem ano que vem, onde os eleitores podem ver vídeos de todos os pré-candidatos, gravados a partir de debates promovidos pelo site e CNN.

Não precisa ser o Duda Mendonça para saber da força que a internet tem em campanhas políticas e o quanto ela pode contribuir para a imagem de figuras públicas. Vamos ver se alguém abre os olhos por aqui…