Arquivo de janeiro \31\UTC 2007

White paper sobre Social Networking

A Akamai disponibilizou um white paper muito interessante através do site do Advertising Age.

Claro, tem um malho de venda no final, mas vale a leitura.

(é preciso se cadastrar para baixar, mas é rapidinho)

Deixe um comentário

Outdoor e internet: amigos ou rivais?

Em tempos de Cidade Limpa, todo mundo comenta que as verbas irão migrar para web. Nunca estive tão seguro dessa assertiva, até ler o artigo de Erik Dafforn em sua coluna no ClickZ. Segundo ele, mídia exterior e links patrocinados tem muito em comum.

Resumindo as similaridades:

Seja simples e direto: a mensagem precisa ser transmitida em poucas palavras em ambos os meios.

Sua mensagem precisa de tempo para ser assimilada: costumo dizer em minhas palestras que ninguém dá tapa em outdoor e corre para o supermercado comprar o produto anunciado. O objetivo é fixação de marca, por isso compra-se mídia exterior em perídos de 15 dias ou mais. Nos sites de busca as pessoas normalmente realizam diversos tipos de busca – com diferentes termos – antes de decidir-se por um produto e clicar no anúncio.

Mantenha a mensagem, mas mude a execução: o desafio em mídia exterior é comprar locais estratégicos e conseguir boa cobertura por toda a cidade, atingindo pessoas diferentes ( ou a mesma, em local diferente). Nos buscadores você também seleciona diversas palavras-chave e testa os melhores anúncios, para atingir diferentes perfis de consumidores.

Taí, faz todo o sentido, não acha? Agora sim, posso encher os pulmões e dizer que a verba de outdoor tem que migrar para web!

Deixe um comentário

Popularidade em alta

Olha quem me adicionou no Orkut…

Deixe um comentário

Afinal, o Google é um portal ou não?

O Google, assim como o Yahoo, começou como um simples site de busca. Mas hoje, assim como o Yahoo, incorporou uma série de outros serviços a seu portfolio.

O Yahoo hoje é considerado um portal. E o Google? Não seria ele um portal “web 2.0”, uma nova categoria a ser acrescentada às categorias mais populares como portais horizontais, verticais e de conteúdo?

Aproveitando uma controvérisa que surgiu no mercado norte-americano recentemente, onde executivos do Google e Yahoo trocaram farpas sobre um site ter copiado o outro, Steve Bryant criou uma home-page para o Google inspirado no layout do Yahoo.

E não é que o Google ficou com cara de portal mesmo?

Deixe um comentário

Links Patrocinados: para onde vai esse mercado?

Recentemente fui entrevistado pelo jornalista João Paulo Nucci para uma matéria publicada no Meio&Mensagem dessa semana. A pedido dele, fiz um panorama do mercado de links patrocinados no Brasil. Reproduzo abaixo minhas declarações.

2006 foi um ano muito bom para mídia online. A expectativa é ter fechado o ano com 2% de participação no bolo, que era uma meta que haviamos estabelecido ainda quando Presidente do IAB. Para 2007, a expectativa continua positiva e, especificamente para o mercado de Busca o ano deve ser melhor ainda.

2006 foi a consolidação do search engine marketing no país. Acredito que para o próximo ano veremos cada vez mais agências “tradicionais” e online treinando e formando pessoal especializado na gestão de campanhas. Hoje você tem 3 “SEM Agencies” ou “agências de SEM” dominando o mercado e acredito que esse número possa chegar ao máximo de 5 empresas em 2007, pelo menos para atender grandes contas. Claro que para o pequeno e médio anunciante as opções são maiores, inclusive criar sua campanha diretamente com os veículos no sistema online. Mas para grandes contas, que demandam um acompanhamento detalhado e ferramentas de gestão sofiscadas, as opções são mais restritas.

Aposto na chegada de algumas SEM internacionais, seja por parceria ou por aquisição. Isso também pode ocorrer no lado das agências tradicionais, que podem ver a aquisição de agências SEM como uma forma rápida de se posicionar no mercado e atender seus clientes internacionais.

Do lado dos veículos, fica a expectativa do lançamento no país do novo sistema do Yahoo, conhecido como Projeto Panamá, já em operação nos EUA. Além disso, o mercado aguarda a chegada do MSN Ad Center, que promete grandes inovações no setor, mas que não deve chegar ao país antes do final de 2007.

Quanto aos investimentos acredito ser importante Google e Yahoo Search participarem do Projeto Intermeios, pois sabemos que as campanhas de links patrocinados foram responsáveis por boa parte do crescimento do bolo online nos EUA e Europa. Fala-se hoje que Search seria 10% do bolo total, mas não tenho muita certeza. O que está claro para mim é que há muito dinheiro novo, já que a maioria dos anunciantes dos buscadores ainda são pequenas empresas, que não aparecem no intermeios. Por iso, o número que vêm dos buscadores será sempre maior do que o trabalhado pelas SEMs.

O lado negativo fica com a crescente preocupação com os cliques fraudulentos, que são hoje a grande ameça ao mercado de performance no mundo todo. Esse pode ser mais um fator para atrair empresas internacionais para nosso mercado, em especial aquelas que oferecem auditoria de cliques.

O IAB Brasil criou um Comitê de SEM que deve tratar de equestões éticas e educacionais. Também decidiu-se por adotar “SEM (Search Engine Marketing) como o nome “formal” do segmento, acompanhando tendência internacional.

Para a MídiaClick 2006 foi um grande ano: lançamos a empresa em março com 3 pessoas ocupando uma sala na AgênciaClick. Hoje, o faturamento cresce na faixa de 20% ao mês, temos 40 clientes ativos e ocupamos um andar na região da Berrini com mais de 30 funcionários.

3 Comentários

What Sticks: o vídeo

Em agosto de 2005 Greg Stuart, então CEO do IAB norte-americano esteve no Brasil participando do Primeiro Seminário Internacional de Mídia Interativa.

A palestra dele foi centrada em seu livro What Sticks, hoje já um best seller nos EUA.

Para quem não pôde ir, o vídeo da apresentação agora está online.

Deixe um comentário

Momento Mãe Diná

Você já viu essa história: final do ano todo mundo começa a fazer suas previsões para o ano seguinte. O divertido é que ninguém se lembra, 365 dias depois de conferir o que deu certo ou não.

Ninguém? Não foi o caso da Business Week, que fez uma lista com as previsões furadas feitas na virada de 2005 para 2006, incluindo YouTube, eBay, satellite radio…

Aqui você pode relembrar minhas previsões para o ano que passou. Até que não errei muito…

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: