Confesso que não pensava em postar nada sobre a compra do You Tube pelo Google, já que o assunto vem sendo exaustivamente debatido pela imprensa. Mas, como está todo mundo dando palpite, resolvi brincar de futurologia também.

Na minha modestíssima opinião foi apenas uma compra de oportunidade: antes que a concorrência – Yahoo, NewsCorp- o fizesse, o Google deu o bote.

Em relação às diversas especulações pela web afora, podemos excluir algumas imediatamente:

– O YouTube já exibe os links patrocinados do Google, por isso podemos excluir compra de inventário/audiência como motivador.

– O Google Vídeo está aí, mas ao contrário de outras aquisições feitas pelo Google no passado, onde empresas como a Keyhole e Urchin viraram respectivamente Google Earth e Google Analytics, a marca YouTube é mais forte que a do Google (Vídeo), por isso é improvável que neste caso haja mudança de nome e consolidação em torno da marca Google (Vídeo).

– As pessoas também especulam que um dos motivos seria exibição de comerciais antes dos vídeos ou links patrocinados que levem a vídeos, em vez de websites. Não acredito, até porque isso não é nenhuma novidade. Além disso, lembre-se que o Google já tem um produto chamado Click to Play. Nele você clica no link patrocinado e vai para um vídeo e não um site.

Conclusão: O Google já deixou claro que pretende expandir o modelo de links patrocinados a outros meios – vide o teste de venda de publicidade em revistas no modelo de leilão e a aquisição de uma empresa que comercializa espaços em rádio. Acho que é mais ou menos por aí, afinal o YouTube pode ser um excelente balão de ensaio para um modelo de comercialização de filmes comerciais no sistema de leilão.