Viral.

Só se fala nisso hoje em dia: criar vídeos ou ações virais que se espalhem pela web, através do boca a boca. Quase que diariamente escuto o pessoal na agência falando que o cliente quer “fazer um viral para colocar no YouTube” ou algo do gênero.

Para a publicidade, em um mundo onde as pessoas estão usando TiVo para pular os comerciais de TV, os vídeos na web parecem ser uma solução. Qual a vantagem para o anunciante? A visibilidade multiplica-se em grande escala, sem que ele tenha que pagar um centavo a mais por isso.

A febre pegou até em Cannes, segundo nosso jurado Ricardo Figueira diz em seu ótimo blog.

Se o vídeo é bom, o pessoal passa pra frente, mesmo que seja efetivamente uma peça publicitária. Por exemplo, você não passaria adiante esse vídeo, que na verdade é um comercial de TV?

O problema é tentar enganar o consumidor, forjando vídeos como se fossem caseiros, mas que na verdade são peças publicitárias. Fique seguro que ao descobrirem (vão descobrir sim!) o prejuízo para sua marca pode ser irreparável.