Muito se fala do poder do Marketing Boca-a-Boca, das Redes Sociais e do Marketting Viral.

Algumas empresas já utilizam a chamada “Consumer Generated Media” para promover seus produtos. Poucas a usam como ferramenta de relações públicas.

O problema é quando o feitiço vira contra o feiticeiro.

Dá uma olhada nessa matéria do New York Times sobre a WalMart: o gigante varejista recrutou blogueiros para defender a empresa. Acontece que vários deles usaram em seus posts exatamente o mesmo texto que foi enviado a eles pela empresa de relações públicas da WM como fonte!

A ética nesse tipo de ação é muito importante, pois uma coisa é alguém lhe recomendar um produto ou emitir uma opinião favorável sobre uma empresa. Outra é ser pago para isso e não comunicar a ninguém ao fazê-lo. Isso tem nome: fraude.