Arquivo de fevereiro \28\UTC 2006

Search Engine Strategies NY 2006 – Dia I

Muito frio lá fora, mas as discussões foram bastante quentes no primeiro dia do evento.

São cinco sessões simultâneas e as que eu escolhi para o primeiro dia foram:
– Vertical Creep
– Blogs, CGM and Buzz
– Winning a Bid War
– Search Head or Search Tail? Getting in the mix

Além dessas, dei uma espiada em Contextual Ads e B2B Tactics.

Para mim a mais interessante foi a “Vertical Creep”, que é a expressão utilizada para explicar como os resultados de buscas verticais estão ocupando espaço de destaque nas buscas genéricas. Confuso? Nem tanto: os buscadores estão diversificando seus produtos e criando buscas específicas (local, desktop, notícias, produtos, fotos, videos, etc) também chamadas de verticais. Os resultados dessas buscas estão sendo incorporados nas buscas genéricas como você vê na imagem abaixo e ocupando posições de destaque. Note que apenas 2 resultados orgânicos estão sendo exibidos sem precisar “rolar” a tela.

Faça o teste você mesmo: busque por Ronaldinho no Google e você verá fotos antes dos resultados orgânicos. Por isso, não basta apenas otimizar seu site para as buscas gerais, mas é preciso dar um foco cada vez maior às buscas verticais.

Anúncios

Deixe um comentário

Poucas e Boas de hoje

– o projeto Google Print, que é a compra de espaço em revistas para vender a seus anunciantes, continua avançando. Agora são 26 revistas participando do piloto, entre elas PC World e Motor Trend. Ainda sobre o Google: aumentam os boatos sobre a criação do Google Finance.

– esta semana a iTunes atingiu a marca de um bilhão de músicas vendidas em menos de 3 anos. E o Brasil continua de fora…

– semana que vem acontece o Search Engine Strategies New York. Estarei lá conferindo tudo de perto e postarei aqui as novidades.

Bom Carnaval para você!

Deixe um comentário

Mr.Rich Media

Guarde esse nome: Neil Balthaser. Ele é o CEO da Balthaser Online Inc. Nunca ouviu falar? Nem, eu mas esse cara é o inventor de todas as tecnologias de Richmedia.

Pelo menos é o que pensa o instituto de marcas e patentes dos EUA que concedeu a patente No.7.000.180 a Balthaser.

A licença cobre a implementação e uso de praticamente todas as tecnologias envolvidas na criação de richmedia, incluindo Flash, Flex, Java, Ajax, and XAML, quando a aplicação é acessada por qualquer equipamento via internet.

Ou seja, na teoria, todas as empresas que quiserem utilizar formatos nesses moldes devem royaties a Mr.Baltheser.

Deixe um comentário

Por dentro do MSN Adcenter 3.0

Na terça-feira aconteceu a primeira exibição pública da versão 3.0 do MSN Adcenter para uma platéia bastante seleta nos EUA.

Jack Spirko, do The Dallas Search Marketing Blog, esteve presente e listou alguns dos principais recursos da versão mais atual:
– permite a criação de até 3 parâmetros para utilização de “dynamic keywords”( o Google permite só um).
– possibilidade de gerenciar os lances de palavras-chave por diferentes grupos demográficos dentro de uma mesma campanha. Por exemplo, você pode oferecer um lance maior apenas para as buscas realizadas pessoas entre 25-36 anos do sexo masculino e com isso melhorar seu ranking exclusivamente nesse target.
– segmentar a exibição dos seus anúncios por dia da semana, por hora ou combinar os dois. Por exemplo, quero que o anúncio seja exibido exclusivamente às segundas-feiras das 15h-17h.

E isso é só o começo.

Ah, para responder a pergunta do Guto(da próxima vez deixe seu email, né…) no post de ontem: sim, o MSN Adcenter vai usar os dados coletados no Passport para a segmentação.

1 comentário

Cross mídia

Duas notícias chamaram minha atenção hoje por serem complementares.

A primeira é sobre o MSN AdCenter, que como você já deve saber é a nova solução de Busca da Microsoft que permite diversas segmentações em suas campanhas de links patrocinados por dados demográficos, sexo e local de residência. Pois bem, segundo a “search agency” 360i, os resultados das campanhas no AdCenter, que ainda está em versão beta, tem se mostrado mais significativos do que as campanhas no Google e Yahoo. A explicação, claro, é por causa da segmentação, que permite que você ajuste o foco de sua campanha.

A segunda notícia: de acordo com um estudo revelado hoje nos Estados Unidos, o Google tem os usuários mais fiéis do mercado. Explico: a pesquisa mostra que 71% dos pesquisados realiza suas buscas exclusivamente no Google, sem consultar também outros sites. O segundo lugar é do Yahoo com 48.1% e o MSN está em terceiro, com 27.8%.

Qual a relação das duas notas?

Um estudo da NielsenNetRatings divulgado em dezembro de 2005, mostra que o Google detém 48% do mercado de busca, contra 21.4% do Yahoo e 10.9% do MSN. Então, baseado nas duas notícias, qual será a estratégia da Microsoft para ganhar participação no mercado? Afinal, não basta apenas mostrar bons resultados aos anunciantes: é preciso ter um inventário significativo e isso está diretamente relacionado ao número de buscas realizadas no site. Mas, em se tratando de Microsoft tudo é possível, que o diga a Netscape, não é verdade?

1 comentário

Mudar para poder crescer

Semana passada foram publicados os números do Ibope Monitor 2005. Como todo mundo sabe, é uma ferramenta muito útil para as agências programarem mídia. Mas… e a internet? Pois é, infelizmente o Monitor ainda não contabiliza as campanhas online. É uma lacuna que precisa ser preenchida, assim como foi feito com o Projeto Intermeios, que já inclui mídia interativa há alguns anos.

Assim inicia meu o artigo publicado essa semana em minha coluna mensal no Caderno Propaganda e Marketing. Nele eu abordo a questão da padronização de formatos de publicidade online. Como é um pouco mais extenso que um post, convido você a ler o texto completo no site do Caderno.

1 comentário

A capa do Meio&Mensagem


E viva o M&M! Mais uma vez matérias de internet na capa e nas páginas internas.

Para mostrar o quanto o Poucas e Boas anda atual, todas as matérias da seção Digital do M&M já foram tratadas em posts anteriores aqui: jornais querendo cobrar dos buscadores, fim dos pop-ups no iG e a censura à internet na China. E o presidente da ANJ diz que a internet não impactou os jornais…

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: