Estou lendo um livro muito interessante. Chama-se A Origem das Marcas. Nele, Al e Laura Ries utilizam-se da mais famosa obra de Charles Darwin – A Origem das Espécies – para traçar um paralelo na evolução das marcas.

O que tem de tão interessante no livro? Simplesmente eles defendem que não é a convergência que gera novas oportunidades para as Marcas, mas sim a divergência.

Pois é, para Al e Laura a convergência é algo que vem sendo prometido há anos e até agora não se concretizou. O quê realmente gera oportunidades para as Marcas é a divergência, assim como o que faz uma árvore crescer são ramos novos, que surgem de uma divergência de ramos existentes. O mesmo vale para a evolução das espécies: uma espécie nova não surge do nada – ela é uma modificação (ou divergência) de uma espécie existente. E, ainda segundo eles, essa teoria é altamente aplicável às Marcas.

Faz sentido. Prometo escrever algo mais conclusivo quando terminar o livro.

Enquanto isso, você pode ler um artigo do Pedro Cabral, Presidente da Agência Click, sobre a obra.